• 1
  • 2
  • 3

Boletim Eletrônico - SAESP

No mundo globalizado e extremamente competitivo em que vivemos a análise periódica e o controle adequado dos custos pode representar o sucesso ou o fracasso das organizações.

Para tanto, da mesma forma que o médico mede a pulsação do paciente, de modo a descobrir se existe algum tipo de irregularidade na pressão arterial, o que poderia denunciar outros problemas de maior gravidade, o empreendedor deve estar atento a sua estrutura de custos a fim de que esta não traga problemas de ordem financeira para a empresa.
 
O problema é que muitas vezes esta análise acaba ficando em segundo plano, pois o empreendedor, principalmente o pequeno e médio empresário, acaba deixando esta questão de lado por não ter afinidade com o assunto ou por ter seu tempo ocupado com uma série de outras atividades que ele julga ser mais importantes, tais como a área comercial, o desenvolvimento de novos clientes e o aprimoramento do seu produto.
 
Isso é um grande engano, pois todas as áreas da empresa se inter-relacionam, sendo, desta forma, igualmente importantes.
 
Embora a gestão de custos tenha seu grau de importância no dia-a-dia das empresas, o que se observa é que está muito longe dela ganhar a atenção que realmente merece.
 
Muitas empresas ainda formam o preço de venda de seus produtos de maneira bastante empírica, desconsiderando por completo o estudo aprofundado da sua estrutura de custos como parâmetro neste processo.
 
Felizmente o mercado não mais comporta este tipo de atitude. É necessário que as organizações adotem uma nova postura em relação a custos de modo que possam se manter vivas (para não falirem ou serem compradas pelo concorrente).
 
O fato é que não existe a menor possibilidade de se conhecer bem os custos de uma empresa atrás de um computador.
 
Sempre digo aos meus alunos que para se conhecer bem quais são os custos de uma empresa é necessário fazer visitas frequentes ao chão da fábrica. Somente conhecendo bem e em detalhes o processo produtivo da empresa é que teremos êxito na tarefa de apropriação correta dos custos e despesas aos produtos e, posteriormente, no processo de formação do preço de venda destes produtos.
 
A tarefa de revisão e análise da estrutura de custos é algo que deve ser feito rigorosamente todo o mês. Isso serve para poder avaliar o comportamento dos custos e o seu reflexo no preço de venda.
 
Isso pode até parecer um luxo, mas é uma atividade absolutamente necessária, principalmente porque os preços dos insumos podem sofrer variações de uma compra para outra, podendo afetar a geração de caixa da empresa e sua lucratividade.

Algumas dicas para manter a estrutura de custos sob controle

Evite trabalhar com estoques elevados: Estoques elevados custam caro para a empresa, quer em recursos financeiros, quer em termos de estrutura de armazenamento e de segurança patrimonial, seguros etc. Estoques elevados consomem os recursos financeiros que poderiam ser utilizados em outras áreas da empresa.
 
Combata o desperdício: Desperdício é como dinheiro jogado pela janela. Procure identificar onde os desperdícios ocorrem no processo produtivo de sua empresa e procure descobrir as causas para então atacar o problema. Invista também em programas de qualidade e melhoria contínua, que costumam trazer excelentes resultados para as empresas.
 
Conheça o seu produto e pense como ele poderá ser aprimorado: a inovação e o aprimoramento contínuo levam ao aperfeiçoamento do produto. Muitas ações podem reduzir o custo do produto ao mesmo tempo em que o torna mais interessante para o mercado consumidor. Sim, é possível ter um produto melhor e mais barato! Para isso é necessário conhecer muito bem o produto.
 
Cuidado com as compras de matéria prima por impulso: o desafio do planejamento e controle de produção e materiais é disponibilizar a matéria prima certa, na quantidade certa e na hora certa. Compras de matéria prima por impulso podem até num primeiro momento compensar para a empresa, mas também podem trazer uma série de outros problemas.
 
Desenvolva novos fornecedores: o desenvolvimento de novos fornecedores pode baratear o custo da matéria prima. Não se prenda somente aos fornecedores nacionais. Desenvolva fornecedores também no exterior.
 
Conheça a legislação e fique atento às mudanças da lei: vários tributos que são pagos pelo setor produtivo são não cumulativos, ou seja, o valor pago na compra de insumos pode ser compensado na venda do produto acabado. Várias empresas deixam de tomar os créditos relativos a estes tributos ou o fazem de maneira parcial. Conhecer a legislação vigente garante que a empresa faça a correta apropriação e compensação destes créditos, a fim de que não seja onerada pelo Fisco.
 
Faça anualmente o planejamento tributário da sua empresa: analisar, antes do início do ano fiscal, o regime tributário mais adequado para sua empresa. Atitudes como esta podem resultar em economia tributária para sua empresa.
 
Tão importante quanto tudo o que foi acima mencionado é analisar a estrutura de custos da sua empresa. A Contabilidade pode e deve colaborar muito com a gestão empresarial, munindo o empreendedor com os relatórios e análises apropriadas, a fim de que os custos possam ficar dentro daquilo que a empresa planejou.
 
E você? Quando foi a última vez que você analisou a estrutura de custos da sua empresa?
 
professor-carlosPor: Prof. Carlos Afonso
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.