• 1
  • 2
  • 3

Boletim Eletrônico - SAESP

No competitivo mercado de trabalho atual e no contexto em que o Brasil esta inserido dentro do mundo globalizado, como um dos 5 membros do BRICS (Brazil, Russia, India, China and South Africa) e sede de grandes eventos internacionais, como a Copa do Mundo, as Olimpíadas entre outros. O candidato a um novo posto dentro das organizações deve possuir em seu currículo, essencialmente, o curso superior e dominar pelo menos o idioma Inglês.

O mercado brasileiro está crescendo e as oportunidades para quem fala o Inglês fluentemente crescem junto com os investimentos estrangeiros e o aumento das transações internacionais. Uma prova disto é a quantidade de empresas estrangeiras, que se instalam mês a mês nas principais capitais brasileira.

O conhecimento e o domínio do idioma inglês são fundamentais e o Espanhol já é desejável nos processos de recrutamento realizado pelos Headhunters, atualmente ter o inglês fluente pesa mais do que um curso de MBA ou de pós-graduação na disputa por uma boa posição no mercado de trabalho.

No Brasil, segundo estudo da Eurobarometer, menos de 2% da população brasileira fala inglês. Este número é desastroso se comparado à proficiência do idioma inglês nos países pertencentes ao bloco da União Européia (41% excluídos os países onde o inglês é a língua pátria) e ainda é tímido se comparado com países como: México (4,6%), Rússia (4,9%) e Índia (26,8%).

Este percentual pequeno da população que fala inglês é insuficiente para suprir demanda do mercado. O que faz estes profissionais serem valorizados, conforme pesquisa salarial da Catho online. No ano de 2010 a diferença média entre os profissionais que falam inglês fluentemente para aqueles que não falam era em torno de 21% e agora em 2011, passou para 28% entre os executivos.

Segue abaixo um quadro comparativo sobre os níveis hierárquicos e o domínio do idioma:

Nível HierárquicoFalo e escrevo corretamenteFalo fluentemente com alguns errosFalo com dificuldadeTécnico para leituraNão falo
Diretor33%30%21%9%8%
Gerente19%23%26%15%17%
Consultor15%19%27%23%17%
Supervisor / Coordenador / Chefe7%8%21%19%45%
Profissionais especializados12%16%26%21%15%
Secretária22%14%26%8%29%
Técnicos5%6%19%30%41%
Assistente / Auxiliar / Operacional7%5%18%12%58%
Trainee7%12%23%21%37%
Estagiário9%12%28%15%36%
% por fluência10%12%23%18%37%

Cuidado com as armadilhas

Existe hoje no Brasil uma grande oferta de cursos de idiomas oferecidos por diversas redes de ensinos, bandeiras brancas ou por professores particulares. Mas o consumidor deve estar muito atento as armadilhas. Escolher uma instituição reconhecida nas grandes organizações e internacionalmente, o ajudará a evitar algumas armadilhas como: "conheço um amigo que estudou 6 anos em determinada escola e não consegue se expressar em inglês" ou "conclui o avançado, mas não consigo fazer apresentação em inglês ou participar de reuniões na empresa".

A procura por cursos rápidos para quem esta buscando ampliar seus conhecimentos com rapidez tem aumentado. Mas os interessados nestes tipos de cursos têm que ter em mente a questão da disponibilidade de tempo que possui para se dedicar ao curso, não somente o tempo em sala de aula, mas o tempo de realização dos exercícios e das atividades on-line (como o oferecido no Yázigi Express), além do seu próprio comprometimento. Estes pontos são determinantes de sucesso no aprendizado.

Pontos importantes a serem observados na escolha de uma instituição de ensino:

  • Existe uma garantia de aprendizado na instituição que pretendo fazer o idioma (Inglês, Espanhol, entre outros)? Como esta garantia funciona? 
  • O curso oferecido segue algum padrão internacional? Exemplo: Common European Framework of Reference for Languages (Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas).    
  • Converse com os alunos do avançado ou que estão concluindo o curso se eles se sentem seguros em participar de reuniões ou fazer uma apresentação para estrangeiros.    
  • Verifique se existem reclamações da instituição no Procon ou em sites como o www.reclameaqui.com.br    
  • No caso de professores particulares é muito importante uma recomendação de quem já estuda com este profissional e questioná-lo principalmente sobre os pontos acima e sobre a proposta pedagógica destas aulas e como será avaliada a evolução do idioma, para não correr o risco de ficar em sessões de conversas (talk session) em nível intermediário ou pré-intermediário.

Apreender um segundo ou um terceiro idioma, não é apenas para preencher o currículo, é garantir uma boa oportunidade de trabalho, apreender outros idiomas e estar preparado para o mercado de trabalho, para expansão de negócios, para viagens internacionais a trabalho ou a lazer, conhecer novas tecnologias e informações, conhecer novas culturas, além de abrir fronteiras culturais e fazer parte da formação de um cidadão globalizado.

Por: Richard Barbosa - Diretor Yázigi Penha