• 1
  • 2
  • 3

Boletim Eletrônico - SAESP

"Não basta ser bom, tem que ser competente!" Essa frase ilustra, com bastante clareza, as condições de exigência de um profissional. Mas, o que significa ser bom? E o que é ser competente?

Conhecemos o significado tradicional da Competência: conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes que diferenciam o profissional no ambiente das empresas. Mas, como todas as condições de empregabilidade passam por atualização, já que o mundo organizacional sofre inúmeras transformações de forma rápida e globalizada, a competência passa por transformações em seu entendimento, pregando a máxima de competitividade, talento e desenvolvimento profissional.

Atualmente, o que percebemos como condição de permanência no mercado de trabalho não é somente o conhecimento, teorias e fórmulas teóricas. Pretende-se que esse profissional seja prático, responsável, comprometido e, principalmente, ético. A prática é valorizada através da comprovação de empregos anteriores. Também é bastante importante o aprendizado obtido durante o período de estágio. A responsabilidade e o comprometimento demonstram o caráter e devem ser preservados para que a relação seja duradoura. Por sua vez, a ética vem sendo valorizada a cada dia já que profissionais éticos colaboram para a disseminação de princípios morais. Vale ressaltar que diante os inúmeros escândalos políticos que assolam nosso país, privilegia-se a honestidade, moralidade e princípios éticos para que o profissional possa ser alguém de destaque no mercado. Assim, não basta ter o conhecimento técnico suficiente: há que se mostrar seu relacionamento com as outras partes envolvidas, sua preocupação com a satisfação do outro e, principalmente, seus valores éticos e princípios morais conservados.

Mas, não se encerra por ai. O profissional atuante e valorizado no mercado de trabalho, deve primar pela qualidade de seus trabalhos e pela relação que mantém com seus pares. A tarefa a ser desenvolvida deve reger-se pela qualidade e comprometimento com prazos, bem como com todos os envolvidos. Sabe-se que o planejamento é condição necessária para o bom andamento de qualquer projeto, por mais simples que seja. Porém, que fique claro: a realização desse planejamento deve ter o viés da flexibilidade. Isso significa que o profissional deve antever quaisquer percalços que possam aparecer, prevendo possíveis soluções e planos alternativos para a sanar imprevistos.

Finalmente, ter paixão pelo que se faz. A competência somente é demonstrada em sua plenitude quando se faz com amor. Trabalhar ou realizar tarefas por mera obrigação torna o profissional frio e carente de desafios verdadeiros. Por isso, qualquer pessoa que queira alcançar o sucesso deve amar o que faz, vislumbrando em cada ocasião uma oportunidade de desenvolvimento, seja pessoal ou profissional.

Por: Patricia Regina Bassetti Surmonte
Professora e Coordenadora do Núcleo Carreiras, da Faculdade ESPA